Corpo do jurista Hélio Bicudo é velado em São Paulo


Ex-integrante do PT morreu nesta manhã em casa, aos 96 anos, em decorrência de vários problemas de saúde. Velório de Hélio Bicudo, em São Paulo
Reprodução/GloboNews
O corpo do jurista Hélio Bicudo começou a ser velado no fim da tarde desta terça-feira (31) em uma casa de funeral privada da Bela Vista, região central de São Paulo. Ele morreu nesta manhã, aos 96 anos, em casa, nos Jardins, Zona Oeste da capital paulista.
A previsão é que o corpo de Bicudo seja levado às 10h desta quarta-feira (1°) para cremação no Cemitério Horto da Paz em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.
Jurista Hélio Bicudo morre aos 96 anos em SP
Hélio Bicudo morreu por volta das 10h30 em decorrência de vários problemas de saúde, inclusive cardíaco. Ele tinha sete filhos, sendo quatro homens e três mulheres. A mulher, Déa, faleceu em março deste ano.
Nascido em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, o jurista foi aluno da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e ex-integrante do Partido dos Trabalhadores (PT).
Ativista dos Direitos Humanos, ficou conhecido por condenar integrantes do Esquadrão da Morte, grupo de extermínio formado por policiais que agia em São Paulo nos anos 70, época em que era promotor. Ele também atuou como procurador de Justiça do Estado de São Paulo e participou da luta pela redemocratização durante a ditadura militar, tendo atuado na campanha “Diretas Já”.
Bicudo ocupou cargos de secretário das gestões de Luíza Erundina (1989-1990) e Marta Suplicy (2001-2004) na Prefeitura de São Paulo. Em 2000, ele foi empossado presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, com sede em Washington, nos Estados Unidos.

Ele se desfiliou do PT em 2005, após o escândalo do mensalão do PT, e em 2015 foi um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados.
Hélio Bicudo posa para foto em sua casa, em São Paulo, em janeiro de 2016
Rovena Rosa/Agência Brasil
Repercussão
A morte de Bicudo repercutiu entre personalidades e entidades do mundo político e do direito.

A senadora Marta Suplicy postou em sua conta no Twitter mensagem na qual afirma que Bicudo foi “um brasileiro democrata e grande defensor dos direitos humanos”.

O Movimento Brasil Livre (MBL), que apoiou o processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, publicou no Twitter mensagem que diz que Bicudo teve papel importante na defesa de direitos fundamentais.
O presidente Michel Temer afirmou que “o Brasil perdeu um “homem notável”. A OAB também divulgou nota de pesar sobre o falecimento de Bicudo.

Posted in G1