Em gravação, modelo admite possibilidade do uso de silicone industrial no próprio corpo


Mayara dos Santos morreu no dia 20 de julho, após passar por um procedimento estético nos glúteos, nas coxas e no abdômen, em um hotel no Recreio. O RJTV teve acesso a uma gravação em que a modelo Mayara dos Santos admite a possibilidade do uso de silicone industrial no próprio corpo. Ela morreu horas depois de um procedimento estético no dia 20 de julho.
De acordo com as investigações, Mayara faria aplicações nos glúteos, nas coxas e no abdômen, e que teria sofrido complicações logo depois. A massoterapeuta Valéria dos Santos Reis, de 54 anos, está sendo investigada na morte da modelo.
Em uma mensagem de áudio que a modelo enviou a um amigo ela contou que estava pensando em passar por um preenchimento e que a aplicação seria com silicone industrial.
“Ela falou pra mim que não ia mentir pra mim, que ela joga silicone industrial mesmo, entendeu? Que ela não tem por que mentir pra mim. Falou a verdade, e vai de mim se eu quiser colocar ou não”, disse Mayara na mensagem.
Usar silicone industrial em pessoas é crime contra saúde pública. Os médicos dizem que o produto não é absorvido pelo organismo, e pode matar.
Mayara Silva dos Santos,de 24 anos, teria sido vítima de procedimentos estéticos
Reprodução/ Redes sociais
Mayara morava na Dinamarca e, segundo amigos, ela veio ao Brasil pra fazer vários procedimentos estéticos.
Mayara sorridente antes de morrer
Imagens de câmeras de segurança mostram Mayara chegando bem e sorridente a um hotel no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, acompanhada de uma amiga, Thaísa Pimentel Esteves. Menos de duas horas depois, Mayara sai amparada por outra mulher, Ohana de Lima Diniz.
A polícia abriu um inquérito pra investigar a morte suspeita. No laudo preliminar do Instituto Médico Legal consta que Mayara tinha sinais de um procedimento nos glúteos.
Em depoimentos à polícia, as mulheres que estavam com Mayara no hotel contaram que ela ia fazer uma drenagem linfática e que passou mal no caminho para a casa de Ohana. Segundo a polícia, o procedimento seria feito Valéria dos Santos Reis.
Os investigadores descobriram que Valéria também encaminhava clientes para massoterapeuta Patrícia Silva dos Santos, a Paty Bumbum, que também é suspeita de aplicar silicone industrial nas mulheres.
Sobre a morte de Mayara, o delegado diz que ainda há muitas contradições, mas tudo indica que algo aconteceu no quarto do hotel.
Posted in G1