Estudante acusado por colegas de vender convites de formatura da UFV e fugir com dinheiro afirma que houve um mal entendido


Nael Luiz de Araújo Júnior disse ao G1 que ‘só queria um pouco de paz’ e que todos receberam os ingressos. Polícia Civil investiga o caso e vai intimar envolvidos. Estudante da UFV acusado de vender convites para formatura e fugir se defendeu
Facebook/Reprodução
O estudante da Universidade Federal de Viçosa (UFV) Nael Luiz de Araújo Júnior, de 25 anos, acusado por alguns estudantes de vender convites para a formatura da instituição e sair da cidade sem entregar os ingressos, conversou com o G1 nesta terça-feira (31) e se defendeu.
Segundo ele, o caso foi um mal entendido e todas as pessoas lesadas foram contactadas por ele e receberam os convites que comparam. “Eu simplesmente peguei minhas coisas e fui para casa. Não sei explicar o porquê, não sei se eu surtei. Eu era da Coordenação de Formatura, não estava aguentando mais mensagens, mais nada, e só queria um pouco de paz. Fui para a minha casa e, quando acordei, estava formado isso tudo”, contou à reportagem.
Ao todo, cinco pessoas procuraram a Polícia Militar (PM) entre quarta-feira (25) e quinta-feira (26) e registraram boletins de ocorrência dizendo que Nael Luiz havia aplicado um golpe nelas. O caso é investigado pela Delegacia de Polícia Civil de Viçosa e os envolvidos serão intimados para prestar depoimentos ainda nesta semana.
Ao G1, o estudante garantiu que todos os estudantes que compraram convites com ele receberam os ingressos. “O pessoal fez o BO e mesmo assim recebeu os convites, o que é uma coisa sem nexo. Eu não fiquei devendo nada para a Coordenação de Formatura. Foi uma confusão que sinceramente não entendi”, afirmou.
Nael ainda afirmou que os denunciantes são amigos dele e que eles não tinham quitado todo o valor devido. “Essas quatro pessoas eram meus amigos íntimos. As outras pessoas que eu tinha vendido convites conversaram comigo super tranquilos, e esses quatro amigos meus que fizeram isso comigo, que não eram meus amigos, né”, argumentou.
Formatura da Universidade Federal de Viçosa ocorreu entre quarta (25) e domingo (29)
UFV/Divulgação
O estudante ressaltou que o caso foi um mal entendido e que tinha quitado todos os convites com a Coordenação de Formatura, que segundo ele repassou os ingressos aos estudantes lesados.
“Como eles não liberaram meus convites para o churrasco, não viram meu comprovante que estava no e-mail desde o dia 17 de julho. Eles pegaram e meio que apagaram a minha dívida. Eu não tive que pagar nada. O cara entrou em contato comigo. Ficou por isso e eu fiquei queimado, sabe? Um absurdo”, lamentou.
Por fim, Nael afirmou que entrou em contato com todas as pessoas que foram lesadas, menos com as que registraram o BO. “Eu queria falar que eu não roubei nada. Se quiserem comprovar é só pedir um sigilo fiscal do banco, ver pra onde foi todo o meu dinheiro esse tempo todo, que eu não sou estelionatário, que eu não vendi convite a mais. E eu estou sofrendo muito na universidade”, concluiu.
Uma das estudantes que fez a denúncia contra Nael falou com o G1 nesta tarde e desmentiu a justificativa dele.
“O Nael não entrou em contato com a gente antes da reunião. Apenas com um moço da coordenação e quem solucionou o problema foi a pessoa, liberando o convite do baile para aqueles que foram na reunião e tinham como provar que haviam comprado o ingresso”, relatou ela, que não quis ser identificada.
A reportagem também procurou os outros citados na matéria anterior para saber se conseguiram os ingressos para a formatura, mas as ligações não foram atendidas.
Boletins de Ocorrência
Aos policiais, os estudantes contaram no dia 25 de julho que compraram convites extras com um aluno do curso de agronomia para participar de três eventos da formatura da UFV, mas não receberam os ingressos.
Os pagamentos foram feitos por depósitos, segundo os relatos, e davam direito a churrasco, coquetel e baile. No entanto, o rapaz que recebeu o dinheiro e entregaria os convites não apareceu no local e horário marcados para entrega.
No dia seguinte, outra estudante procurou a PM e relatou o mesmo processo. Ela disse aos policiais que entregou R$ 445 para o jovem e combinou que entregaria mais R$ 355 no momento que recolhesse o convite. No entanto, ele não compareceu ao local combinado. Para esta ocorrência, outro BO foi confeccionado.
Com relação à UFV, em nota a instituição disse ao G1 no dia 25 de julho que é responsável regimentalmente pela cerimônia de colação de grau e que os demais eventos são de responsabilidade da comissão de formatura.
Posted in G1