Juiz bloqueia acordo para impressão de armas em casa nos EUA

Juiz afirmou que dano pode ser irreparável

Juiz afirmou que dano pode ser irreparável
Getty Images/Ethan Miller/06-01-09

O juiz federal Robert Lasnik, de Seattle, bloqueou temporariamente nesta terça-feira (31) a distribuição on-line de arquivos para fabricar armas de fogo em impressoras 3D, um dia antes da implementação de acordo entre o governo de Donald Trump e a companhia Defense Distributed, para a comercialização dos programas nos Estados Unidos.

O juiz concedeu a medida cautelar temporária após ouvir os argumentos de Eric Soskin, advogado do Departamento de Justiça dos EUA. Segundo informou o The Seattle Times, Soskin argumentou que o acordo tinha regulamentos para restringir armas que poderiam ser usadas na guerra.

Mas Lasnik rebateu com afirmação semelhante à de grupos de controle de armas, que pediram intervenção da Justiça para impedir que a permissão fosse colocada em prática nesta quarta-feira (1).

“Há uma possibilidade de dano irreparável por causa da maneira como essas armas podem ser feitas.”

Na segunda-feira (30), oito estados americanos, por meio de procuradores-gerais do Partido Democrata, apresentaram petição para impedir a permissão da fabricação destas armas de plástico, mas igualmente letais, o que possibilitaria um descontrole no porte deste equipamento, segundo os críticos.

Acompanhe o noticiário de internacional do R7

Outro que entrou com processo a favor do bloqueio foi Bob Ferguson, promotor do Estado de Washington.

O acordo, por ora bloqueado, era uma reivindicação do milionário texano Cody Wilson, chefe da Defense Distributed. Wilson vinha de um imbróglio jurídico contra o governo, entre 2013 e 2015, até ele firmar o acordo com a administração Trump.