TCM instaura auditoria para investigar Corujão da Cirurgia em SP

Programa foi lançado pelo ex-prefeito João Doria em maio de 2017. Outra investigação do TCM apontou que meta do Corujão da Saúde, para reduzir fila para exames, não foi cumprida. O Tribunal de Contas de Município de São Paulo determinou nesta terça-feira (31) a instauração de auditoria para investigar o Corujão da Cirurgia.
O programa foi lançado em maio de 2017 pelo ex-prefeito João Doria (PSDB), que deixou a Prefeitura para concorrer ao governo do estado nas eleições de outubro. A meta era zerar a fila de 68 mil pessoas que esperavam por um procedimento cirúrgico na capital paulista.
A auditoria do TCM foi instaurada por determinação do conselheiro Mauricio Faria. Ele solicita que se apure a quantidade de pacientes encaminhados para cirurgias, o tempo que ficaram na fila, o tempo para realização de exames, consultas e da realização da cirurgia, bem como o tamanho da evolução das filas e do período médio de espera.
O conselheiro pede, ainda, para que sejam identificados os motivos para a eventual retirada de pacientes da fila de espera e quais foram os resultados obtidos em caso de reavaliação de pacientes.

O G1 entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo e aguarda resposta.
Doria não cumpriu promessa do Corujão da Saúde
Outra auditoria realizada pelo TCM, finalizada em junho, identificou que o Corujão da Saúde, programa lançado por Doria para acelerar a fila de exames nos hospitais, não cumpriu a promessa de diminuir o tempo de espera.
O ex-prefeito havia fixado prazo de 30 dias para exames urgentes e 60 dias para os demais depois do encerramento do programa. No entanto, o prazo médio de janeiro a maio do ano passado foi de mais de três meses após a data da entrada na fila. Do ponto de vista médico-científico, este período constitui prazo excessivo, segundo relatório do tribunal.

Posted in G1